Advertisement

Saúde pública de Volta Redonda ganha destaque em série documental da Fiocruz



Trabalho desenvolvido pela Atenção Primária à Saúde da SMS faz parte de
relatos de trabalhadores do SUS em todo o país

O trabalho intitulado “Mas eu não consigo doutor: Grupos dialógicos para
a Atenção Primária à Saúde, juntos nós podemos”, da Secretaria Municipal
de Saúde (SMS) de Volta Redonda, ganhou recentemente destaque a nível
nacional. Após ser apresentado em mostra estadual de prática de saúde em
maio, o trabalho foi escolhido como um dos temas da série “Vozes da
Saúde, experiências da IdeiaSUS Fiocruz”, que conta com relatos sobre
lutas, desafios, criatividade e compromisso de trabalhadores do Sistema
Único de Saúde (SUS) em todo o país.

De autoria das médicas Luísa de Carvalho Fiedler, Elisangela Lira
Bonifácio e Sílvia Mello dos Santos, o trabalho conta a história dos
grupos de educação em saúde voltados para a estratégia cardiovascular
que acontecem mensalmente, desde junho de 2022, na Unidade Básica de
Saúde da Família (UBSF) do bairro Volta Grande. O foco dos grupos são
pacientes voltados à Estratégia Cardiovascular (hipertensos e
diabéticos).

O relato sobre o trabalho de Volta Redonda é dado em vídeo pela médica
da Estratégia Saúde da Família (ESF) Luísa de Carvalho Fiedler –
disponível no Youtube da Plataforma IdeiaSUS Fiocruz
(https://www.youtube.com/watch?v=Rf8jnbJhJzs). Ela fala sobre o foco do
trabalho no autocuidado, por meio da educação em saúde e a partir do
protagonismo e autonomia dos pacientes. A produção da série faz parte da
IdeiaSUS Fiocruz, espaço que concentra cerca de 3,2 mil experiências
desenvolvidas por unidades e trabalhadores da Saúde Pública, em todo
Brasil, vinculada à Presidência da Fiocruz, em parceria com a VideoSaúde
Fiocruz.

“A prática na unidade foi muito importante, a gente mudou a realidade
dos usuários, não só na parte da estratégia cardiovascular, mas para dar
autonomia para o paciente, para ele ser protagonista do cuidado dele.
Tivemos relatos de melhora dos pacientes, de eles terem o poder de saber
o que fazer, e resultado laboratorial também. A melhora dos exames
reflete o cuidado dos pacientes”, explicou Luísa.

O projeto é desenvolvido pela maior unidade de Saúde da Família de Volta
Redonda, a UBSF Volta Grande, que tem cinco equipes e cerca de 20 mil
pessoas cadastradas, sendo a maioria idosos com doenças crônicas.

“É um trabalho que já havíamos apresentado na 4ª Mostra Estadual de
Práticas de Saúde, realizada pelo Conselho de Secretarias Municipais de
Saúde do Estado do Rio de Janeiro e a Plataforma Colaborativa IdeiaSUS
Fiocruz, e que agora mostra o quanto Volta Redonda é referência na saúde
pública do país. Ele integra todo um trabalho feito na Atenção Primária
à Saúde que implementamos e que beneficia quem mais precisa, que é o
usuário do SUS”, afirmou a secretária municipal de Saúde, Maria da
Conceição de Souza Rocha.

O prefeito Antonio Francisco Neto parabenizou as equipes da Saúde pelo
sucesso no trabalho realizado. “O mais importante é que a saúde pública
de Volta Redonda vem investindo cada vez mais em programas que melhorem
a vida de quem mais precisa. Além disso, fizemos e vamos continuar
fazendo investimentos em estruturas, equipamentos e outras melhorias
para acolher cada vez melhor o cidadão que procura o atendimento do SUS
em nossa cidade”.