Advertisement

Escolas da rede municipal comemoram Dia da Matemática com atividades lúdicas em Volta Redonda

Unidades da SME e da Fevre promoveram oficinas com alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental

 

Aliando diversão e conhecimento, escolas da rede municipal de ensino de Volta Redonda realizaram nesta segunda-feira (6) diversas ações comemorativas ao Dia da Matemática no Brasil, celebrado anualmente em 6 de maio. Com propostas diferenciadas, alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental participaram de oficinas, nas quais o objetivo foi mostrar aos estudantes que a matemática está presente no cotidiano de cada um e pode ser trabalhada de forma lúdica e atrativa.

 

“Para muitos estudantes o ensino da matemática é considerado algo de extrema dificuldade, além de causar medo e insegurança. Nesse sentido, a Secretaria Municipal de Educação (SME) tem realizado ações para desmistificar a matemática, mostrando a sua importância no nosso dia a dia. Uma dessas foi a inclusão do dia 6 de maio no calendário letivo”, explicou a implementadora de Matemática da Rede Municipal de Ensino, Ellen Bortolazzo de Barros, que atende unidades da SME e da Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda).

 

De acordo com a implementadora, foram sugeridas às escolas diversos tipos de oficinas: Kahoot e Gamificação (utilização da plataforma com jogos e quizzes interativos); jogos de tabuleiro; jogos africanos; dominó matemático; origami (dobraduras de papel); mandalas; tangram (quebra-cabeça chinês); bingo matemático; trilha matemática (tabuleiro e dados confeccionados pelos estudantes); construção de sólidos geométricos; cozinha experimental; e confecção de pipas.

 

Na Escola Municipal José Juarez Antunes, no bairro São Luiz, os alunos participaram de oficinas como a de Libras (Língua Brasileira de Sinais), jogos de tabuleiro, construção de pipas e culinária. A professora Marta Couto de Paiva, mãe do aluno Marcus, que estuda no 7º Ano do Ensino Fundamental, contribuiu com a oficina de culinária e falou sobre a importância desse tipo de ação.

 

“Achei extraordinária a oportunidade de mostrarmos a matemática na prática, no dia a dia, como é importante a matemática sair do caderno e do quadro da sala de aula, porque ela está presente em todos os momentos, inclusive na receita. Trazendo o conteúdo para a realidade deles. Achei incrível que eles respondiam tudo. É muito bom quando a matemática, a escola é integrada à realidade das crianças. É muito gratificante participar”, disse Marta.

 

Os estudantes também se animaram com a oficina de pipas, na qual tiveram a oportunidade de, além de aprender a fazer as pipas, adquirir conhecimento sobre a história e criação do objeto, e aprenderam conceitos matemáticos, com perguntas relacionadas a conceitos geométricos.

 

“Achei muito maneiro a matemática envolvida nas pipas, e aprendi muito na oficina de hoje”, contou Guilherme de Almeida Simão, aluno do 8º ano na Escola Juarez Antunes.

 

Oficinas também beneficiaram alunos da Educação Infantil

 

Na Creche Municipal Ayrton Senna, na Vila Santa Cecília, as crianças participaram de atividades como boliche, brincadeiras com luz e sombras, tapete sensorial, empilhamento de caixas, novidade embrulhada, diversos tipos de encaixe, ordenamento e seriação de materiais, e balança trabalhando diferentes pesos.

 

A programação contou ainda com as crianças fazendo uma receita junto com a professora, permitindo trabalhar com os alunos uma variedade de conceitos matemáticos, como: números e contagem (contar os ingredientes necessários, como ovos, colheres de açúcar, etc.); medição (introduzir noções de medidas como xícaras, colheres de chá, gramas, etc.); sequenciamento (mostrar a ordem correta dos passos na receita, como misturar antes de assar); frações (dividir ingredientes pela metade ou em partes iguais); classificação e padrões (agrupar ingredientes semelhantes, como todos os secos juntos).

 

A diretora da creche, Salete Avelino, explica que essas atividades proporcionam às crianças experiências práticas e significativas com conceitos matemáticos, enquanto também desenvolvem habilidades motoras finas e sociais.

 

“Na Educação Infantil, a Matemática é trabalhada através do Campo de Experiências Espaços, Tempos, Quantidades, Relações e Transformações, que acontece no cotidiano escolar a partir das vivências das crianças em diversos contextos. Não envolvem somente a contagem de números, mas também busca principalmente resolver situações-problema, construir, empilhar, agrupar, seriar e sequenciar, explorar espaços, manipular objetos, observar e descrever características, ter noção de conservação, relações de transformação, medidas, atributos, entre outros que permitem às crianças a explorar, conhecer e utilizar a linguagem matemática em sua vida prática”, afirmou a diretora.

 

Para o secretário municipal de Educação, Osvaldir Denadai, é fundamental integrar a prática e a teoria com atividades que estimulem os estudantes ao aprendizado.

 

“É importante trabalhar o ensino associado à realidade dos alunos, ao cotidiano ao qual eles vivem. Isso desperta o interesse pelo conhecimento. Essas atividades contribuem para que o aprendizado seja o melhor possível e, por isso, a secretaria decidiu implementar no calendário letivo. E que mais projetos como esse sejam desenvolvidos para beneficiar ainda mais os estudantes da rede”, afirmou o secretário municipal de Educação, Osvaldir Denadai.