Advertisement

RESENDE IMPLEMENTA SALA DE TELEMONITORAMENTO PARA ACOMPANHAR PACIENTES NOTIFICADOS PARA DENGUE

Equipe de médicos acompanha quadro clínico de pacientes atendidos tanto na rede pública quanto privada do município


Com o intuito de fortalecer as ações de combate ao Aedes aegypti, a Prefeitura de Resende anunciou a implementação de uma sala de telemonitoramento. Composta por uma equipe de quatro médicos, a iniciativa visa oferecer suporte personalizado aos pacientes notificados por dengue, atendidos tanto na rede pública quanto privada do município.


O Dr. Octavio Drummond Guina, responsável pela sala de telemonitoramento, detalhou o funcionamento do novo serviço. Os médicos realizam ligações aos pacientes notificados, acompanhando seu quadro clínico, entendendo sintomas, sensações diárias e demais aspectos relevantes. Esse acompanhamento abrange informações cruciais, como endereço do paciente, áreas mais afetadas pela suspeita ou confirmação da doença, faixa etária, histórico familiar ou amizades diagnosticadas, além de qualquer informação sobre possíveis criadouros de larvas nas proximidades. O processo inclui, pelo menos, três ligações em 48 horas, dependendo das condições do paciente.


- Este sistema foi desenvolvido para estreitar os laços entre médicos e pacientes, humanizando o atendimento. Os pacientes que estão em situação de notificação para dengue, sejam casos positivos ou suspeitos, são acompanhados pela nossa equipe. Todas as chamadas são feitas pelos médicos da Secretaria de Saúde, identificando-se previamente. Estamos atentos às necessidades dos pacientes, seja em relação à sua saúde, denúncias ou informações cruciais para o combate aos focos de larvas - disse Octavio.


A implementação do telemonitoramento em saúde é mais uma frente de ação da gestão municipal na incansável batalha contra o Aedes aegypti. Equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) percorrem diariamente a cidade, inspecionando imóveis, eliminando possíveis focos de água parada e recolhendo larvas para análise. Ações como mutirões e recolhimento de materiais inservíveis foram intensificadas, cobrindo todas as regiões da cidade.


Além disso, a Prefeitura estabeleceu uma extensa agenda para o carro fumacê, utilizando o equipamento UBV, tecnologicamente avançado e eficaz em escala mundial. Os horários estratégicos visam atingir os momentos em que os mosquitos estão mais ativos — sendo no início da manhã e no final da tarde/início da noite. As ovitrampas, armadilhas para capturar ovos do Aedes aegypti, têm sido uma ferramenta crucial desde 2019, com sua instalação sistemática em parceria com o Governo do Estado do Rio de Janeiro desde 2023.


Até 16 de janeiro de 2024, graças às ovitrampas, a Prefeitura retirou 78.376 mosquitos de circulação, contribuindo significativamente para a redução de casos de dengue. A superintendente de Vigilância em Saúde, Carolina Bittencourt, destaca a importância da participação individual na prevenção, ressaltando ações simples, como a inspeção semanal em quintais.


- Precisamos reforçar que, além das ações realizadas diariamente pelas equipes da Prefeitura, cada um também precisa fazer a sua parte. Além de abrir as portas de suas residências para receber os agentes durante, a inspeção semanal em cada quintal é extremamente importante para que não haja criação de larvas. São apenas 10 minutos de descarte de água parada que pode salvar não somente a sua vida, como de seus familiares, amigos e vizinhos. É importante compreender que as ações individuais têm impacto no coletivo. Por isso, trabalhamos juntos para enfrentar o Aedes aegypti - acrescentou Carolina Bittencourt, superintendente de Vigilância em Saúde. 


A Prefeitura de Resende disponibilizou um canal oficial para denúncias da população sobre terrenos com acúmulo de material, água parada, caixas d’águas destampadas e demais irregularidades, através do portal https://falabr.cgu.gov.br/web/home. As denúncias podem ser feitas de maneira anônima. 


- Estamos fazendo uma força tarefa envolvendo vários segmentos da Saúde para mudar a situação da cidade. Além disso, também contamos com o apoio dos Serviços Públicos, Fiscalização de Postura, Ouvidoria, Cruz Vermelha, Secretaria de a Saúde, AMAR, SANEAR, Guarda Municipal e Assistência Social. Por isso, contamos com a ajuda da população. Apesar de termos conseguido visitar muitos imóveis no último mutirão, ainda encontramos resistência de alguns moradores quanto à visita dos agentes na residência. Vale reforçar que os agentes são uniformizados e utilizam crachás de identificação - finalizou o secretário de Saúde Jayme Neto.